A Guerra que nunca terminará com as guerras

Por momentos, chego a pensar que o homem mata porque quer, já que se tivemos capacidade de evoluir mais do que as outras espécies, porquê continuar a disputar, a lutar, matando como alguns animais fazem. Se conseguimos desenvolver capacidades para transformar tecnologicamente o Mundo, porque não nos comportamos como seres racionais, racionalidade semi-oculta, e não dialogamos de modo a estabelecer acordos? Porque levamos tantos à morte, quer a combater, quer os que são colhidos nessa tempestade, se bastavam apenas dois olhares, meras palavras, um diálogo, que coexistissem. Se assim fosse, a guerra física era desnecessária, física porque o diálogo leva ao debate, que se traduz numa guerra verbal, nada destrutiva, contrastando com a guerra corpo a corpo.

São escolhas, dúvidas e sentimentos que, se se resplandecessem num papel, salvariam vidas, não só humanas, mas de todo um mundo, uma realidade que assim, se traduz em pó. Quer acreditemos, quer não, a vida tem sempre razão e nunca será justo tirá-la a alguém, uma vez que, se ela nos foi concedida, é para que possamos gozá-la convenientemente! Contudo, será possível que exista um lugar onde a guerra não passe apenas do nosso pior pesadelo?!

1 comentário:

X) disse...

Incrivel ! O texto está optimo mesmo ! Nao é qualquer pesso que escreve assim...Tens muito jeito mesmo ! :)

Continua a escrever que eu vou continuar a ler os teus texto .