«Assim arrefeceu, parou, aquele coração de herói que eu habitava; e evaporado o princípio da vida, eu agora livre, remontei aos astros, levando comigo a essência pura desse amor imortal.»

N'Os Maias, de Eça de Queiroz

1 comentário:

Porcelain Doll disse...

É tão bom habitar um coração de herói... tudo parece ser possível...

Evaporado o princípio da vida, resta a essência pura do amor... e se for amor mesmo, daquele que é verdadeiro, é imortal...

Gosto muito de Eça de Queirós... mas por acaso nunca li Os Maias... os dias deviam esticar... :-)

Beijinhos!