Sinto-me frustrada, perdida. Sei que nada sou, se é que sei o que isso é, de facto. Talvez não seja nada, realmente.
Na vida, todos são bons em algo, sentem-se felizes com determinado feito… mas eu…
Quem são os outros, afinal? Igonorantes que pensam poder manipular, tudo e todos. Não sou assim, eu. E, críticas, não me reduzem a pó, ainda que me entristeçam. Porém a força maior advém de dizeres que sou lixo. Um lixo que, por muito tarde que seja, terá muito mais valor do que tu pensas, do que és, se lá chegares.
O homem é veneno. Tu que lês estas palavras, podes tratá-las com a maior obscuridade possível, até considerá-las de inúteis, todavia são a forma de me libertar, de fugir à contaminação que estás a levar a cabo na Terra.
Sabes que mais desiste! Agora correm lágrimas, amanhã nascerão sorrisos.

Não faças dos sonhos a tua realidade.

Sem comentários: