23/06/09

Pergunto-me porquê? O porquê de toda esta vivência, do nosso ser.
Interrogo-me acerca daquilo que sou, do que posso ser e até onde/quando irei triunfar. Será que sou o rastro ignorante da humanidade. Os setes pecados encarnados?
Estes sentimentos, dúvidas, questões terão algum sentido?
Porque ora sorriu com facilidade ora edifico o horror da tristeza...?
(...)
Quando amamos alguém não tem de ser necessariamente um amor do qual apenas queremos atingir um prazer físico/sexual. Porém quando o ciúme nos consome... qual será o seu significado? Ama-lo-ei, acho que não. Talvez o meu maior receio seja perdê-lo. Contudo as atitudes, gestos que aquele corpo monotoriza, por vezes, desiludem-me, mas, aí, não resisto ao perdão. É como se um subconsciente me lembra-se sempre daquela pessoa tão especial.
Se queremoso perdão temos de edificar esta palavra e perdoar aqueles que nos magoaram. Sabendo que aqueles que nos magoaram também nos perdoarão.
Afinal o que sou, no que me tornarei? Mas, acontecça o que acontecer, há pessoas que permanecerão em mim. Amigos que amo, a essas seis pessoas, Obrigada, Ana Isabel, Carolina, Sérgio, Ana Lúcia, Vítor, Sandrine !

Sem comentários: